Central do cliente
Esqueci minha senha
Home Contato
Home » Notícias
Ritmo de crescimento na AL pode não ser sustentável, diz FMI
Postado em: 07/05/2013
Ritmo de crescimento na AL pode não ser sustentável, diz FMI
“Se a tendência histórica para capital e produtividade total dos fatores continuar, e dado algum refreamento natural no trabalho, então é pouco provável que a dinâmica atual de forte crescimento seja sustentável”, afirma FMI, em relatório
Fundo aponta três indícios de que a dinâmica de crescimento na região pode mudar nos próximos anos

São Paulo – Na última década, a América Latina desfrutou de uma dinâmica de forte crescimento. Segundo o FMI, esse ritmo de crescimento pode não ser sustentável. O conjunto de países cresceu, em média, 4% entre 2012 e 2013. O Fundo estima que o crescimento médio entre 2013 e 2017 ficará um pouco abaixo, em torno de 3,25%.

“Se a tendência histórica para capital e produtividade total dos fatores continuar, e dado algum refreamento natural no trabalho, então é pouco provável que a dinâmica atual de forte crescimento seja sustentável”, afirma o FMI, no relatório Regional Economic Outlook sobre o Hemisfério Ocidental. A produtividade total dos fatores mede a eficiência com a qual os fatores de produção são utilizados no processo de produção e inclui a tecnologia, assim como a eficiência dos mercados.

Essa possível desaceleração do crescimento reflete menores contribuições de todas as fontes para os próximos anos, segundo o FMI, que destaca três pontos:

Capital físico

O crescimento do capital físico deve moderar um pouco, segundo o FMI, refletindo uma normalização das condições de financiamento externo e a estabilização de preços das commodities. Os dois fatores foram determinantes para a recente força dos investimentos domésticos e dos investimentos estrangeiros diretos na região.

Trabalho

A contribuição do trabalho para o crescimento no futuro poderá ser limitada por alguns refreamentos naturais, segundo o FMI, incluindo o envelhecimento da população, espaço limitado para aumento adicional da taxa de participação na força de trabalho (inclusive para as mulheres), que já estão altas, segundo o FMI e baixas taxas de desemprego. “Contribuições mais fortes por parte do capital humano vão precisar de melhorias importantes na qualidade da educação”, afirma o relatório.

Produtividade

O crescimento da produtividade total dos fatores também deve desalecerar, em linha com a normalização do ciclo de negócios. A performance da produtividade será fundamental para sustentar altas taxas de crescimento na região, segundo FMI.

Nesse cenário, de expectativa de moderação na acumulação de capital e da existência de refreamentos naturais no trabalho, é pouco provável que o momento de forte crescimento que a região vive seja sustentável, a menos que a performance de produtividade total dos fatores melhore significativamente, segundo o FMI, para quem esse desafio é uma prioridade para a região. O Fundo afirma que as causas para o baixo crescimento da produtividade total dos fatores na América Latina são muitas e variadas e sugere políticas nesse sentido – entre elas, a melhoria do clima de negócios e da infraestrutura, entre outros.

A pesquisa foi realizada com base em dados dos países da América Latina. Argentina, Guatemala, e a maior parte das pequenas ilhas do Caribe foi excluída por causa da limitação de dados, segundo o FMI.
Fonte: exame.abril.com.br/economia/noticias/ritmo-de-crescimento-na-al-pode-nao-ser-sustentavel-diz-fmi
Parceiros
SEJA UM PARCEIRO!
SEJA UM PARCEIRO!
SEJA UM PARCEIRO!
SEJA UM PARCEIRO!
COGNITOS
EPIRA
SEJA UM PARCEIRO!
SEJA UM PARCEIRO!
COM DOMINIO DA SAUDE LTDA - ME
EPIRA
ANUNCIE AQUI
ANUNCIE AQUI
EverNET - Sites e Sistemas Online
ANUNCIE AQUI
COGNITOS
 
Home Sobre o site Contato Anuncie
Valid XHTML 1.0 Transitional
Atenção: O Guia Metalúrgico não se responsabiliza pelos anúncios constantes de seu site, que são de responsabilidade exclusiva de cada anunciante
Copyright © 2012 - Guia Metalúrgico, Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela   |