Central do cliente
Esqueci minha senha
Home Contato
Home » Notícias
A economia está com o motor emperrado
Postado em: 13/06/2013
A economia está com o motor emperrado
Consumo firme: a P&#38#38G mantém expectativa de crescimento da receita em 2013

Com a economia em marcha lenta, as 500 maiores empresas do Brasil cresceram 1,8% no ano passado, pouco acima da expansão do PIB - que, aliás, ainda não deu sinais de reação em 2013

São Paulo - O governo levou uma ducha de água fria ao receber, no fim de maio, os dados de expansão do produto interno bruto (PIB) no primeiro trimestre do ano. De janeiro a março, a economia brasileira cresceu 0,6% em relação aos três últimos meses do ano passado.

Foi um resultado frustrante — Brasília esperava expansão de 1% — e levou o ministro da Fazenda, Guido Mantega, a admitir que o governo “certamente” terá de rever para baixo a previsão de umcrescimento do PIB de 3,5% em 2013. Essa revisão já estava nas contas de boa parte da elite empresarial do Brasil.

Um levantamento realizado entre abril e maio por Melhores e Maiores, de EXAME, com os presidentes das maiores companhias do país, revela que a grande maioria — 87% — acredita que o PIB brasileiro crescerá menos de 3% neste ano. Em conjunto, as 500 maiores empresas do país tiveram receita líquida de pouco mais de 1 trilhão de dólares em 2012, um crescimento de apenas 1,8% sobre o ano anterior — de 2010 a 2011, o avanço havia sido de 7,3%.

O pior número apareceu na última linha do balanço. Em 2012, as 500 maiores empresas somaram um lucro de 34 bilhões de dólares, metade do valor obtido no ano anterior. Os dados serão analisa­dos em detalhes na edição de 40 anos de ­Melhores e Maiores, que será pu­blicada por EXAME­ no início de julho.

No mesmo dia do anúncio do baixo crescimento do PIB, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou um dado aparentemente positivo em meio à safra de notícias ruins: o aumento da capacidade produtiva da economia por meio da elevação dos investimentos em máquinas e equipamentos.

Esse investimento cresceu 4,6% no primeiro trimestre em relação aos três últimos meses de 2012. Embora isso sinalize uma melhora das condições para o país sustentar um crescimento no longo prazo, a avaliação dos analistas é que a expansão só ocorreu porque a base de comparação é fraca.

“Não vejo o investimento se repetir na mesma magnitude nos próximos trimestres”, afirma Jankiel Santos, economista-chefe do Banco Espírito Santo Investimento.

Otimismo e cautela

Mesmo com a economia do país em marcha lenta, há quem aposte que 2013 será o ano da recuperação — pelo menos do próprio negócio. Quatro em cada dez presidentes ouvidos na pesquisa de MELHORES E MAIORES esperam que sua empresa cresça mais de 10% neste ano.

Um dos executivos que demonstram otimismo é Roberto Cortes, presidente da Man, fabricante alemã de caminhões. Depois de sofrer em 2012 uma queda de 19% na receita, a previsão da Man é crescer pelo menos 10% neste ano. “Um aumento do PIB, mesmo que de 3%, gera a necessidade de renovação da frota de caminhões”, diz Cortes.

Essa renovação conta com o incentivo do governo, que oferece linhas de financiamento do BNDES com taxa de juro anual de 3% para caminhões. No segundo semestre, essa taxa deverá subir para 4% ao ano — ainda bem abaixo do que era cobrado até setembro de 2012, de 10% ao ano.

Também estão otimistas as empresas ligadas ao setor de consumo, apesar dos indicadores, que apontam uma desaceleração nos gastos das famílias. O grupo americano P&G, fabricante de produtos de limpeza e de higiene pessoal, faturou 5,1 bilhões de reais em 2012. Neste ano, quer crescer e consolidar suas marcas no país.

“Mesmo com o achatamento da renda pela inflação, o consumidor não tirará do carrinho do supermercado produtos de higiene e limpeza”, afirma Gabriela Onofre, diretora de assuntos corporativos da P&G. A alta da inflação, contudo, é um fator que preocupa muitas empresas.

A Bombril aumentou sua receita 11% no ano passado porque conseguiu repassar a alta dos custos aos preços dos produtos. Mas isso tem um limite, segundo Pedro Brandi, diretor financeiro da Bombril. “Estamos confiantes no desempenho da empresa em 2013, mas com um pé-atrás em relação à situação do país”, afirma Brandi. Ele não é o único que pensa assim.

Fonte: exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/1043/noticias/o-motor-esta-emperrado
Parceiros
SEJA UM PARCEIRO!
SEJA UM PARCEIRO!
SEJA UM PARCEIRO!
EPIRA
SEJA UM PARCEIRO!
SEJA UM PARCEIRO!
COGNITOS
SEJA UM PARCEIRO!
ANUNCIE AQUI
COGNITOS
ANUNCIE AQUI
ANUNCIE AQUI
ANUNCIE AQUI
ANUNCIE AQUI
COM DOMINIO DA SAUDE LTDA - ME
 
Home Sobre o site Contato Anuncie
Valid XHTML 1.0 Transitional
Atençăo: O Guia Metalúrgico năo se responsabiliza pelos anúncios constantes de seu site, que săo de responsabilidade exclusiva de cada anunciante
Copyright © 2012 - Guia Metalúrgico, Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela   |